Comentários internos do CD ABISMO DE ROSAS – 2001 (1º CD como solista)

“Um gênio não se faz, nasce gênio. É o caso de um menino do interior de São Paulo que aos 7 anos empunhou pela primeira vez um violão e que estudou enfrentando todos os tipos de dificuldade para hoje ser reconhecido como o gênio Alessandro Penezzi.
Depois de pertencer a vários grupos musicais do interior, o convidei para participar do meu grupo. Durante um ano Alessandro foi uma das principais atrações do meu grupo.
Agora ele mostra mais uma vez o seu talento, não mais como bandolinista, violonista-tenor, cavaquinista, flautista, violonista 7 cordas, mas como solista de violão 6 cordas popular.
Parabéns Alessandro, aqui está nesse seu primeiro CD perpetuando o talento do gênio, que é.”

CARLOS POYARES, flautista e compositor

“A coisa sempre se repete. De tempos em tempos aparece um que resolve pegar o bastão e levar adiante, e assim o violão brasileiro vai se renovando sem perder seu lugar de destaque no cenário mundial. Garoto, Paulinho Nogueira, Baden Powel, Egberto Gismonti, Raphael Rabello, Marco Pereira, Paulo Belinatti, tantas formas diferentes de contar a mesma história e mesmo assim sempre aparece alguém com mais um “causo”. Agora é a vez do Alessandro com seus dedos rápidos e precisos inventar umas cores novas, dando mais um passo na longa caminhada do nosso instrumento mais querido. E pode ter certeza, ele vai fazer isso muito bem.”

ULISSES ROCHA, violonista, compositor e Professor da Unicamp

Garoa e Maresia
Nos olhos de alguém que chora
Meu coração meio a meio.
São Paulo, cidade pontiaguda
De breves linhas do horizonte – meu Rio de vareio.
Gosto tanto de vocês.
O violão de Alessandro Penezzi
Causa estragos nesse carioca.
Um beijo”

GUINGA, violonista e compositor

Compartilhar: